Pare de dar murro em ponta de faca!

Pare de dar murro em ponta de faca!

Conta pra mim, você já parou para pensar no quanto você se sabota no dia a dia? Ou no quanto você fica sempre batendo na mesma tecla em relação a algum problema ou situação chata? Pois bem, é justamente esse tema que vou abordar hoje.

Um exemplo bem claro e que ilustra um pouco o que eu quero dizer é qualquer relação conjugal. Discussões e problemas sempre haverá, mas tudo vai depender da forma como ambas as partes se conversam para a resolução disso. Ficar só querendo defender a sua parte sem ouvir ou tentar entender o outro lado é dar murro em ponta de faca. Nenhuma das partes vai ceder e o problema só passará a separar ainda mais você e seu parceiro. Lembre-se sempre, em uma relação nunca é um contra o outro, mas sim, vocês dois juntos contra o problema.

Em uma relação de mãe e filho isso também acontece muito. A mãe muitas vezes quer porque quer que o filho se alimente bem e seja o mais saudável possível, usando a justificativa que isso ela faz para benefício dele mesmo, mas ela faz isso da forma errada. Faz isso brigando, ameaçando e criando no filho uma repulsa por uma alimentação saudável; murro em ponta de faca. Tudo isso vem, na verdade, de uma enorme culpa por parte dos pais em criar uma criança perfeita.

Uma alimentação saudável é sim muito necessária, mas como tudo na vida, a chave é o equilíbrio. Jamais use seu filho como válvula de escape para frustrações pessoais suas. Seu filho não é um projeto, não é uma argila a ser moldada, mas sim uma pessoa! Um ser humano com vontades e que deve sim ser encaminhado, mas tudo com limites e parcimônia.

Ainda pensando em relação ao exemplo da criança, muitas vezes o fato de forçá-lo a uma situação faz com que ele naturalmente se rebele. Podia até ser que o filho tivesse vontade de se alimentar melhor, mas pelo fato de ser forçado a isso e ser criada uma obrigação por trás dessa ação, desencadeia-se a raiva e a rebeldia frente a ela.

Mas a essa altura você deve estar me perguntando como toda essa situação pode ser revertida. A resposta é muito simples, apesar de ser desafiadora para colocar-se em prática: amor e empatia. É colocar-se no lugar do outro, seja ele seu filho ou seu companheiro. Se coloque do lado de quem escuta, do lado de lá. O que o seu filho ou seu companheiro dizem? Você tenta ouvir o que o outro lado tem para falar ou apenas fecha os ouvidos sempre que é confrontado de alguma maneira? Entenda, o diálogo é a chave essencial para tudo.

Tudo isso é, na verdade, um processo de amadurecimento onde ambas as partes se beneficiam e crescem. Nada na vida é conquistado com confrontos, brigas ou enfrentamentos; o resultado de sua vida depende da forma como você lida com problemas, da maneira como você mantém sua mente equilibrada frente a situações de atrito.

Entenda tudo como uma oportunidade de evolução e amadurecimento de ambas as partes, não como uma competição de quem tem mais voz ou mais poder na relação, seja ela qual for.

Date

02 Mai 2020

Tags

Colunistas, Roberto Shinyashiki

Revista Perfil:

Mais Conceituada do Brasil 


Baixe o nosso aplicativo

 

Entrar em contato

| Revista Perfil - Editorial

| Tapejara/RS

| Praia Brava - Itajaí/SC

| Jardim Paulista - São Paulo/SP

 

Contato:  Revista Perfil     contato@perfilrevista.com.br