ptendees

Perfil Cases

Entrevista com o renomado Fotógrafo Trumpas

A fotografia possui diferentes formas de expressão. 

Cada profissional tem o seu estilo preferido e sua forma exclusiva de expressar essa arte. Um fotógrafo profissional estuda e se especializa exatamente na área que quer exercer.

Nesta edição do Perfil Business Case conversamos com o renomado fotografo, Roberto Trumpauskas, conhecido como Trumpas, com inúmeros trabalhos que marcam a fotografia com estilo e sofisticação.

Confira nossa conversa!


“Como amo demais o que eu faço, pra mim, não existe nenhum peso quando trabalho.”


Compartilhe um pouco sobre o início da sua jornada, como começou e o mais importante, por que começou a fotografar?
Fui para a Europa para jogar futebol, mas não deu certo. Acabei virando modelo por lá e durante os trabalhos que fazia a fotografia ia me conquistando e meu interesse foi crescendo aos poucos. Fui conversando com muitos fotógrafos e cada um deles me ensinava um pouco sobre a fotografia. Quando vi tinha comprado minha primeira máquina e estava tirando minhas primeiras fotos na Europa. Voltei ao Brasil já com o foco de abrir um Studio fotográfico para fotografar meus colegas de trabalho. E, assim tudo começou há 10 anos.

 
Sua carreira de modelo na Europa ajudou, de certa forma, na maneira como conduz seus ensaios hoje?
Com certeza, como já fui modelo, consigo me colocar no lugar de todos que estão sendo retratados e automaticamente já consigo direcionar de forma mais direta e assertiva.

Como você poderia caracterizar o seu trabalho?
Acredito que um dos grandes diferenciais do meu trabalho é que nunca sinto que estou trabalhando (risos). Como amo demais o que eu faço, pra mim, não existe nenhum peso quando trabalho. Levo sim, a sério o resultado quando entrego as fotos, mas a agilidade, a descontração, a leveza e a alegria são minhas marcas registradas.

Diga-nos, o que mais te inspira na fotografia? De onde vem suas melhores ideias para fotografar?
Sempre busco estar ligado em tudo o que acontece no mundo, na moda, nas tendências mundiais e no dia a dia mesmo, da internet em geral. Diferentes culturas me inspiram, viagens me inspiram, pessoas reais me inspiram, algumas marcas me inspiram e minhas melhores ideias vêm sempre do conjunto desses fatores.

Na sua opinião, quais são os maiores desafios para um fotógrafo neste mercado tão concorrido e carregado hoje em dia?
Na minha opinião um dos maiores desafios no mercado da fotografia realmente é poder se aproximar das pessoas, das marcas. É entrar no mercado, que é um mercado considerado muito fechado, mostrar o trabalho e permitir que as pessoas te deem uma oportunidade, requer muita insistência, muita paciência e dedicação. Foram 10 anos lutando muito para que pudesse finalmente estar deixando minha marca registrada no mercado de imagem fotográfica, levou muito tempo para poder começar a sentir um pouquinho de reconhecimento e sei que ainda tenho muito para fazer e mostrar.

Quais os ingredientes fundamentais, na sua opinião, para um futuro próspero no mercado da fotografia?
Acredito que um bom olhar, uma boa câmera, ser uma pessoa focada no que quer e com muita determinação, fazem os grandes profissionais da fotografia se destacarem e claro, o caráter de um bom profissional também é seu melhor diferencial. Se você faz cliques super bacanas mas não é uma pessoa íntegra, aí, você pode até se destacar durante um tempo, mas depois tudo se revela. Amo poder ajudar as pessoas e entendo que através do meu trabalho, da visibilidade que eu conquistei, posso e devo ajudar da forma que for, em projetos que acredito que sejam importantes para a sociedade.

Fale-nos sobre seus projetos sociais.
Sempre que posso me envolvo com projetos sociais. Já me envolvi ajudando um Instituto para crianças especiais onde toda a arrecadação foi destinada às crianças que passam por tratamentos naquele espaço. Dentre esse exemplo, tenho planos de poder me envolver em projetos para crianças que amam o futebol, mas não têm recursos financeiros para jogarem e se aperfeiçoarem. Como pai de três meninas, acabo olhando para as crianças e de alguma forma, me toca demais, por isso minha alegria é sentir que posso fazer a diferença na vida delas, nem que seja um pouquinho, mas de pouquinho em pouquinho, se todos ajudarmos, com certeza poderemos ter crianças bem mais felizes e com um futuro melhor.


@trumpas_


Perfil Business Case

Revista Perfil:

Mais Conceituada do Brasil 


Baixe o nosso aplicativo

 

Entrar em contato

| Revista Perfil - Editorial

| Tapejara/RS

| Praia Brava - Itajaí/SC

| Jardim Paulista - São Paulo/SP

 

Contato:  Revista Perfil     contato@perfilrevista.com.br