Perfil Cases

A Perfil conversou com uma das bandas que executa vários gêneros em suas músicas

Este diferencial faz da Banda Soulblack um sucesso nesta trajetória de mais de sete anos

Como Surgiu o Soulblack e qual o propósito da Banda?
O Soulblack foi fundado há 7 anos, em 24 de agosto de 2013, na região do Tatuapé (Zona leste de São Paulo). Entendemos que nosso propósito é ajudar pessoas, ajudar direta e indiretamente artistas que estão iniciando suas carreiras e deixar um legado representativo nas pessoas. Mostrar que não se trata apenas de uma banda, não se trata apenas de música. É sobre dar exemplo, sobre valores, sobre reparação histórica e, é claro, sobre fazer história.

Muitas pessoas questionam vocês nas redes sociais sobre o estilo musical em que vocês se encaixam, por não usarem cavaco, por exemplo. Para vocês, o Soulblack, se enquadra em um único gênero específico?
Nós sentimos uma veia POP em nosso som, um SAMBA POP. Somos músicos em primeiro lugar, que erguem a bandeira do samba e do pagode, crescemos nesse meio, pertencemos a isso. Porém, não gostamos de impor limites aos nossos arranjos, queremos buscar inovação e testar coisas novas o tempo inteiro. Não queremos somente fazer o Samba e Pagode tradicionais, nós temos referências de outros segmentos musicais e gostamos de imprimir isso no nosso som, a música e o samba sempre se renovarão como já aconteceu outras vezes na história.

De onde surgiu a ideia de se vestirem iguais? Vocês realmente se vestem sempre de forma idêntica, independente do lugar onde estão indo?
O igual é diferente, tudo depende da perspectiva que se olha. Por exemplo, não é normal você encontrar jovens andando por aí se vestindo igual dos pés à cabeça, do tênis ao boné. Sempre que entramos em um lugar, qualquer que seja, conseguimos despertar curiosidade e atenção nas pessoas só por estarmos lá... mesmo quem não nos conhece sabe que temos algum laço, algo em comum. É uma forma de transmitir nossa igualdade e união para o nosso público.

Vocês já citaram em lives e aparições em programas de televisão e rádio que a estrela tem um significado para vocês, qual seria esse significado?
Nós gostamos de nos comparar a uma estrela. Em 2016 participamos de um concurso onde passamos por diversas dificuldades que nos marcaram muito, e, até então éramos apenas em quatro integrantes (Biel, G, Léo e Rafa), e o Ivan, mesmo estando junto conosco desde o primeiro show de nossa carreira, atuava como nosso produtor musical em nossa banda de apoio. Quando ganhamos este concurso, foi emocionante! E nesse dia ao chamarmos o Ivan para completar a linha de frente da banda, nos comparamos com uma estela pela primeira vez. Uma estrela onde as cinco pontas são de extrema importância e têm sua função para que toda engrenagem funcione bem.

Quais são as etapas da criação de uma música do SoulBlack?
Diariamente recebemos diversas composições de outros compositores e também gostamos muito de compor nossas músicas. O processo se inicia dessa forma, com o nascimento da obra. Quando decidimos que gravaremos uma nova música, ouvimos músicas que já compusemos e músicas que recebemos de outros compositores. Após isso, buscamos referências para criar o arranjo que, em nossa opinião e visão, combinaria com a música.
Fazemos uma prévia da produção para sentirmos se estamos no caminho certo e então após isso, vamos para o estúdio e realmente gravamos, as pessoas que não conhecem os bastidores desse mercado, não sabem o quão trabalhoso é esse processo até que a música chegue ao resultado final. Mas nós fazemos com muito prazer, pois, amamos o que fazemos.

O ano de 2020 foi atípico para todos, e vocês do meio musical foram muito afetados pela pandemia que nos pegou de surpresa. Qual foi o maior ensinamento que esse ano deixou para vocês enquanto banda?
O ano de 2020, começou para nós em 2019, quando fizemos pela primeira vez um planejamento para o ano posterior, como uma empresa faz. Traçamos metas, produzimos um trabalho maravilhoso a música “Hey” e estipulamos metas que deveriam ser cumpridas em 2020. Quando fomos surpreendidos pela COVID-19, havíamos acabado de fechar nossa parceria com a Monumento Produções e tínhamos um planejamento voltado para o trabalho na “rua”, com shows, eventos e internet.
Então, fomos resilientes, replanejamos o trabalho, mudando o foco 100% para internet.
Criamos um sistema que nos permitisse crescer, fizemos lives, lançamos músicas, clipes e após analisar os resultados de 2020, aprendemos que a resiliência e o planejamento são dois pilares essenciais para uma carreira sólida, assim como o respeito e a consistência.

Qual o maior desafio de 2021 para o Soulblack?
Em primeiro lugar, que essa situação passe e que a vida de todos volte ao normal, isso é o que mais queremos no momento. E, olhando para nossa carreira, 2021 será um ano de Feat’s com artistas do pagode e de outros segmentos, será um ano de foco no trabalho na internet, porém, já contando com a possível volta de eventos em sua normalidade e será um ano de aprendizado, aprender novas línguas, novos instrumentos, sobre investimentos e etc.
Pretendemos consolidar ainda mais nosso escritório junto a Monumento Produções e nos tornarmos cada vez mais a empresa que gostaríamos de estar e trabalhar.

Face> SoulBlack
Inst> gruposoulblack

 


Entrevista Soulblack

Revista Perfil:

Mais Conceituada do Brasil 


Baixe o nosso aplicativo

 

Entrar em contato

| Revista Perfil - Editorial

| Tapejara/RS

| Praia Brava - Itajaí/SC

| Jardim Paulista - São Paulo/SP

 

Contato:  Revista Perfil     contato@perfilrevista.com.br