Blog Perfil

Superação é a arte suprema da liderança

Como superar? É a pergunta que não "quer calar "!

Na tese de doutorado "a pedagogia da superação", três eram as hipóteses iniciais:
1 - É impossível superar os desafios e o ambiente competitivo e negativo isoladamente. A capacidade de atrair ajuda, através da cooperação (Robinson Crusoe & Sexta-feira), e o papel das comunidades tem impacto fundamental no processo da superação.

2 - A partir da superação seja de que tipo de trauma ou problema for, a superação mental exigirá o desenvolvimento de foco e concentração em trabalho, obras e criação a partir de talentos e habilidades desenvolvidos. O amor, labor, ética e estética.

3 - Superação será dependente de líderes, educadores ou pessoas que estejam nesse papel, país e responsáveis. Para isso será exigida uma formação exclusiva perante a circunstância dada.

Essas três hipóteses foram comprovadas nas pesquisas realizadas. Quando crianças, há uma total dependência de ambientes que salvem os menores conduzindo-os para o encorajamento, a resiliência da edificação de valores. Quando adultos precisam abertura para serem os responsáveis pela arte de atrair ajuda. Ouvir e querer aprender. Em outras palavras escolher seus mentores.

“Tudo seria fácil não fossem as dificuldades", assim escrevia o chargista (in memorian) Barão de Itararé. A superação como a arte suprema da liderança exigirá lideres com autenticidade. Observamos nos estudos como a existência de líderes com autenticidade favorecem a superação em qualidade e em velocidade. Isso assistimos em empresas ultrapassando crises, famílias, grandes traumas coletivos e mesmo nações.

São quatro os ingredientes exigidos para a liderança com autenticidade:
Interiorização dos sistemas regulatórios, a partir do seu intrínseco eu (self).
Procedimentos imparciais de se relacionar com a informação.
Ações que refletem legítimos valores.
Transparência nos relacionamentos.

Cinco são os passos encontrados para realizar a pedagogia da superação:
1 - Resgatar. O resgate do trauma, fazer o que tem que ser feito na situação dramática da emergência, (eu não estaria vivo se não fosse a intervenção da minha vizinha dona Helena, quando me queimava aos 4 anos de idade).

2 - Acolher, carinho, afeto, humanismo e amor, cuidar - o abraço um santo remédio.

3 - Reeducar. Preparar e ensinar a nova vida, nova situação, e circunstância. Revalorar, redefinir o sentido. Depois de um trauma jamais seremos os mesmos. Nesse contexto os educadores da superação são essenciais.

4 - Reinserir: amalgamar novamente com a sociedade, efetivar a reinserção na economia, trabalho, no mundo que continua.

5 - Libertar: desamarrar as amarras, estimular novas religações, transmissão do melhor do aprendizado para gerações futuras, de vítimas para heróis da superação.

Mas fica claro nos estudos realizados que não conseguimos sozinhos. Por isso a sociedade precisa desenvolver desde a escola fundamental e nas comunidades, indo até os mais altos níveis educacionais a formação de multiplicadores de uma pedagogia da superação. Eis aí meu sonho. Instituir na sociedade e principalmente na educação formal o preparo humano para superar. E logicamente para isso precisaremos educar e formar os professores da superação.

Na próxima edição vamos tratar dos sete pontos cruciais para nos desenvolvermos como educadores da superação por uma pedagogia superante.

Grande Abraço


Prof. Dr. José Luiz Tejon
Coordenador do Master Science Food& Agribusiness Management com Audiência de Nantes França e FECAP, Brasil


Perfil Pedagogia da Superação

Blog & Cases

17 Dezembro 2021
17 Dezembro 2021
06 Outubro 2021

Revista Perfil:

Mais Conceituada do Brasil 


Baixe o nosso aplicativo

 

Entrar em contato

| Revista Perfil - Editorial

| Tapejara/RS

| Praia Brava - Itajaí/SC

| Jardim Paulista - São Paulo/SP

 

Contato:  Revista Perfil     contato@perfilrevista.com.br