Blog Perfil

Somos seres emocionais que pensam!

Vivemos em uma cultura que prega nossa supremacia racional sobre os aspectos emocionais, ou que pelo menos, que temos domínio cognitivo sobre a emoção.

Porém, segundo Antônio Damásio, Professor de neurociência, neurologia e psicologia na Universidade do Sul da Califórnia, conhecido como “Mago do Cérebro”, a verdade é outra.

Para Damásio, a racionalidade é um upgrade muito bem elaborado pela natureza, graças ao desenvolvimento principalmente do córtex pré-frontal, responsável direto sobre nossa capacidade de razão e criação do senso de EU. Porém, tal habilidade nasceu aos 45 do segundo tempo dentro da escala evolutiva, um verdadeiro puxadinho de luxo, que nos permitiu uma enorme diferenciação em relação a todas as outras espécies do planeta.

Sua tese é de que somos seres emocionais utilizando a razão como meio para justificar escolhas já feitas subconscientemente, em outras palavras, emocionalmente. E isso, é devido ao fato de que as emoções funcionam como marcadores somáticos de experiências adquiridas durante a vida e que estão espalhadas pelo corpo (elétrica e quimicamente), servindo como via de reação aos estímulos sensoriais, influenciando nossos processos de sentimento e consequentemente de pensamentos.

Sabe aquela dieta que você nunca consegue executar, o ciclo de fracassos em relacionamentos? Ou talvez aquele padrão financeiro que insiste em permanecer, mesmo você trabalhando e estudando horrores? Nem irei comentar sobre fobias sem nexo (alguém já viu baratas devorarem humanos?) ou uma ansiedade descontrolada que afronta nossa inteligência.

Pois bem, esses são alguns dos inúmeros possíveis exemplos de situações em que determinadas emoções buscam formas para expressarem modelos aprendidos ao longo da vida e que inevitavelmente vão encontrar oportunidades de serem executadas, mesmo a pessoa “tentando” de forma consciente fazer o contrário.

Convenhamos, se o pensamento fosse supremo, bastaria um comando mental e pronto, problema resolvido, mas não funciona assim né! Aliás, não significa que o pensamento seja irrelevante, porém a emoção sempre será o determinante.

Está na hora de começarmos a entender que a verdadeira máquina que nos movimenta é emocional e trabalhar justamente neste pilar, seja com terapia (curando as feridas do passado), seja com uma jornada de autoconhecimento, mas principalmente cuidando de nossas crianças e no exemplo que transmitimos a elas. Somente assim teremos uma sociedade mais saudável e evoluída.

 


Ernani Felipe
Terapeuta, Palestrante e Mentor Emocional.
@oernanifelipe
www.ernanifelipe.com.br

Perfil Saúde Emocional

Blog & Cases

06 Outubro 2021
02 Julho 2021
29 Abril 2021

Revista Perfil:

Mais Conceituada do Brasil 


Baixe o nosso aplicativo

 

Entrar em contato

| Revista Perfil - Editorial

| Tapejara/RS

| Praia Brava - Itajaí/SC

| Jardim Paulista - São Paulo/SP

 

Contato:  Revista Perfil     contato@perfilrevista.com.br