Blog

Viva uma vida sem desculpas 

A culpa é uma emoção exclusiva do ser humano, nenhum outro ser vivo sente culpa.

É proveniente de um ato falho cometido da qual, segundo seus valores morais, não deveria ter sido feito e isso aprisiona você ao passado através de pensamentos ruminantes de que as coisas deveriam ter sido diferentes. A raiz de toda culpa está baseada no passado. Aprendemos determinados valores e regras, especialmente na infância, que uma vez infringidos nos fazem sentir culpados por estar prejudicando alguém em decorrência dessas ações ditas como falhas. Em grande parte esses valores vêm da própria família, doutrinas religiosas e da própria escola.

          Provavelmente você sente que sua vida não anda, pois sempre mora dentro de você um sentimento de culpa que parece que te impede de continuar em frente. Costumam aparecer diálogos internos na sua mente em tons de ameaça como se você fizesse algo diferente daquilo que aprendeu existisse uma punição te aguardando.

         Isso acontece muito, pois a culpa é uma forma de colocar freio nas pessoas. E dessa forma, tentar controlar seus atos e manter você dentro de uma organização para que seja mais comportado e aprenda a seguir as regras de forma inquestionável e se mistura ao medo que consolida a pessoa dentro de um espaço limitado e sem coragem de avançar.

        Acontece que a culpa pode sim ser eliminada através da ressignificação do que ela representa para você conseguindo esses passos:

1) Diferencie culpa de responsabilidade: a culpa é quando você tem a intenção de causar aquilo de forma proposital e que prejudique aos outros ou a si mesmo. Responsabilidade é assumir que suas escolhas originaram um determinado resultado e ninguém mais além de você é responsável por isso. Se for sua intenção causar algo, então, de fato, se trata de uma culpa. Se não foi sua intenção, então, não precisa alimentar essa culpa, apenas reconhecer que é da sua responsabilidade e corrigir o que precisa ser feito.

2) Identifique a origem da culpa: questione: “Eu estou realmente fazendo mal a mim mesmo ou ao outro por estar realizando essa ação?”. Pense bem, costumamos rejeitar nossas próprias escolhas em detrimento de valores que não são nossos. Servem apenas para agradar aos outros e nos manter escravizados a regras para que fiquemos controlados por terceiros e assim, nos julgamos e a culpa só aumenta. Olhe para seu julgamento: você consegue perceber algum conteúdo de origem religiosa, um parente ou algo que lhe foi ensinado na escola influenciando o seu pensamento? Reflita, pois esses valores não foram criados por você e nem para você, cabe a você definir o que realmente faz bem para seu coração e eliminar culpas que são frutos do passado naquilo que lhe foi ensinado.

3) Assuma sua ignorância: não sabemos tudo e nem somos perfeitos. A falha faz parte do aprendizado e não há nada de errado com isso e não se trata de pecado também. É uma nova oportunidade que a vida está te dando para você fazer novas escolhas e obter novos resultados independentemente de quantas vezes errar. Não lute contra isso e nem gaste muito tempo se arrependendo de suas ações. Assuma sua ignorância, aprenda com o erro e cuide para não fazer isso de novo.

      Seguindo esse método você se torna especialista de si mesmo e aprende a confiar mais na sua intuição e nas respostas que você traz dentro de si e passa a se importar menos com o que os outros têm a dizer 

      Viva uma vida em sintonia com o livre desejo de se expressar de forma autêntica e livre e carregue com você tudo aquilo que te traz leveza e uma vida sem desculpas.      

 

 

 


CEO da Startup Médicos da Alma

Médico pós graduado em psiquiatria e medicina da dor

Terapeuta do Instituto Gente- Roberto Shinyashiki

Comunicador digital e de palco

 

Revista Perfil:

Mais Conceituada do Brasil 


Baixe o nosso aplicativo

 

Entrar em contato

| Revista Perfil - Editorial

| Tapejara/RS

| Praia Brava - Itajaí/SC

| Jardim Paulista - São Paulo/SP

 

Contato:  Revista Perfil     contato@perfilrevista.com.br