Blog

Ser perfeito me torna mais forte?

O perfeccionismo vem da crença de que não podemos falhar e de que o erro é sinônimo de fracasso, nos inferiorizando perante aos outros.

Assim, contribui para que sejamos duros conosco em busca de uma perfeição que não chega nunca, já que está condicionada a um padrão de excelência construído por nós mesmos para que sejamos sempre bem vistos aos olhos dos outros e, assim, nos criticamos por não alcançar esse padrão de qualidade.

Questione: Para que serve o nosso perfeccionismo? O que buscamos com ele? Felicidade?

Reflita sobre esses pontos e aplique o método abaixo para aprender a ser mais gentil com você e conquistar uma saúde emocional perfeita

1) Autoperdão: perdoe a si mesmo pelos seus erros e use-os para aprender. A falha faz parte do processo de aprendizado. O sucesso é uma sucessão de falhas e não há nenhum problema em errar. A frustração é comum. Desapegue dos resultados e reduza suas expectativas sobre si e sobre os outros, isso é fundamental para amenizar as decepções. Faça o seu melhor e seja realista. Analise bem o que diz para si mesmo e aceite que não é perfeito. Quanto mais gentil você é consigo mais compreensivo se torna com as pessoas e, naturalmente, os bons resultados virão.

2) Autoaceitação: somos seres sociais e quase todas nossas ações são voltadas para os outros. Não é missão de ninguém agradar a todo mundo, naturalmente não seremos aceitos por determinadas pessoas e não há nada de errado com você por causa disso. Aquilo que não aceita no outro parte da premissa daquilo que não aceita em si mesmo. Olhe para essa parte sua que você rejeita. Anote aquilo que te incomoda nos outros e verá que é um padrão de rejeição que projeta nos demais e tem dificuldade de olhar que, na verdade, precisa ser melhorado em você.

3) Não tente mudar os outros: ninguém muda ninguém. Aquilo que você tanto espera que o outro mude é o seu ponto de vista em conflito com o do outro. Não existe ninguém igual a ninguém, cada um tem sua forma de enxergar o mundo e não existe regra ou razão, essas são as causas do conflito. O que faz as pessoas mudarem são as atitudes, não as palavras. Seja exemplo daquilo que diz e os outros vão se espelhar em você, caso contrário, apenas vai forçar que os outros sigam suas regras que nem você mesmo sabe bem como cumpri-las. Mude primeiramente e, assim, seja a mudança que deseja ver ao seu redor.

O que os outros pensam a nosso respeito diz respeito aos outros. O que fazemos com isso diz respeito a nós mesmos.

Ser gentil conosco é nos permitir reconhecer que somos vulneráveis e que na nossa parte frágil existem grandes ensinamentos que nos tornam mais fortes e mais autênticos.

 

 

 

 

 

 

 

 


Ricardo Frota
Médico pós-graduado em psiquiatria, especialista em comportamento humano. Graduado em Medicina pela Universidade Iguaçu (UNIG-RJ), é pós-graduado em Medicina da Dor pelo Hospital Albert Einstein, em Psiquiatria pela Santa Casa (SP) e pelo Instituto Superior de Medicina (ISMD-SP).

 

Revista Perfil: Destaque para

sua empresa


Baixe o nosso aplicativo

 

Entrar em contato

| Revista Perfil - Editorial - Matriz

| Rua Júlio de Castilhos, 410 - Sala 504 - Tapejara/RS

| 54 3344 2830

| 54 9 9157 3330


| Revista Perfil - Filial

| Rua Júlio Joaquim Fernandes, 155 - Sala 602 - Itajaí/SC